*Cláudio Brito

No ano de 2014 quando no mundo todos os jornais falavam em crise, veja a manchete “Bem longe da crise: marcas premium registram crescimento em ano difícil para indústria de carros” e o segundo no ano de 2020, em que o mundo foi assolado por uma grande pandemia e aí nos deparamos com esse tipo de notícia:” Vendas dos iPhone fazem disparar receitas e lucros da Apple” é novamente o premium nos dando um alerta que para quem vende qualidade a palavra crise não existe.

Algo que é contraintuitivo, talvez você mesmo tenha pensado que com tudo que estava acontecendo estava faltando dinheiro no mercado e se você compra essa ideia a tendência é você baixar e não aumentar o seu preço, o que acaba sendo uma grande armadilha.

Durante qualquer crise o dinheiro não some ou desaparece, ele só circula de maneira diferente. Os clientes que são pessoas de carne e osso como você tendem a comprar coisas que eles entendem que tem mais valor, que são melhores, mais duráveis e vão trazer benefícios maiores e nesse sentido você consegue compreender porque é que nesse momento essas marcas sobressaem, inclusive algumas pesquisas dizem que 20% dos seus clientes estão dispostos a pagar pelo menos dez vezes mais por determinado produto ou serviço que já compraram para ter uma experiência Premium.

 Isso é o mesmo que dizer que aquela pessoa que já pagou 500 ou 1.000 reais por um atendimento, um curso ou serviço seu, poderia ter pago 5 mil ou até 10 mil pelo mesmo atendimento entregue de forma Premium. Veja alguns números que outras cinco pesquisas que revelam: 

  • Mercado de luxo cresce 93 por cento na pandemia;
  • Por que o consumo de produtos premium aumenta no Brasil ;
  • Apesar da crise, mercado de luxo não para de crescer e deve movimentar R$ 29 bi em 2023;
  • Estudo aponta que 33% dos lares são propensos a comprar produtos premium.

De maneira geral, esses estudos revelam que o Premium sempre teve seu espaço e que se você nunca pensou nisso, saiba que talvez o seu concorrente esteja fazendo isso exatamente agora. 

Veja por exemplo, quando você vai viajar de avião sempre tem lá a viagem comum e a viagem de executiva ou de primeira classe, as pessoas que estão ali, estão pagando 10x mais que a média para ter uma experiência de voo completamente diferente. Quando você vai a um show, por exemplo, você pode ficar na pista ou você pode ficar em um camarote muito mais caro. Enfim, se você não tem uma oferta Premium, para oferecer para os clientes que estão propensos a comprar algo Premium, eu sinto muito te falar isso, mas você está deixando dinheiro na mesa.

Outro ponto importante para refletir é que se você tem uma meta financeira de 50 mil reais ao mês:

  • Com um produto de R$50 você precisa de 1000 clientes para bater a meta
  • Com um produto de R$1000 você só precisa de 50 clientes
  • Com um produto de R$5000 você só precisa de 10 clientes

Perceba que a medida que você aumenta o preço o número de clientes diminui. E muito provavelmente você terá menos trabalho para atender dez clientes no lugar de mil clientes para além disso, ter o mesmo resultado financeiro.

 Outro dado importante: clientes que pagam mais caro tendem a ter mais resultado, isso acontece porque quando você investe mais, você tende a se esforçar mais para ter resultado. Quando eu estive em Harvard eu paguei 40 mil pela mentoria que eu recebi e advinha como eu estava? Extremamente focado, ávido por informação eu queria aplicar e fazer valer cada centavo do investimento que eu havia feito.

 Quando eu voltei de lá eu tentei repassar o conhecimento que eu recebi para outras pessoas até de graça para validar o que eu havia aprendido e as pessoas não faziam nada do que eu ensinava, e hoje eu cobro 50 mil pela minha mentoria individual e além de pagar, as pessoas que fazem, são as que mais tem resultado.

Imagina por exemplo que você chega a um hospital onde está internado alguém muito importante para você (seu filho, seu cônjuge, seu pai ou sua mãe) e esse alguém precisa de uma cirurgia e você fala com a enfermeira que diz a você que naquele momento existem 2 médicos de plantão e que os 2 podem fazer o procedimento porém a cirurgia com 1 deles custa R$ 1 mil e com o outro custa R$ 5 mil, qual dos 2 você iria escolher?

 É óbvio que se você só tem essa informação, você escolheria o médico de R$ 5 mil. Principalmente porque se algo acontecer você estará com a consciência tranquila de que deu a melhor opção de tratamento ao seu ente querido, automaticamente seu cérebro vai agir em função do preço ele por si só projeta autoridade.

Agora como essa história começou? 

Após 15 anos empreendendo eu decidi fazer algo com propósito, eu queria fazer algo realmente apaixonante e viver daquilo pra sempre e ai, eu criei uma empresa chamada Acelera Startups e naquela época eu capitei 100 mil dólares para tocar o negócio, eu montei equipe, criei eventos, filmei um documentário no vale do silício e em 3 anos criamos soluções que chegaram em +20 mil pessoas de 47 países.

Porém, quando o dinheiro que eu captei acabou, veio a realidade nua e crua me dizendo que eu não iria conseguir manter o negócio e entre gastar as minhas economias para manter esse negócio de pé e fechar as portas demitindo toda a equipe eu escolhi a segunda opção, algo que para mim foi extremamente difícil e doloroso. E naquele momento eu precisei de mentores para me orientar e dessas mentorias nasceu a Global Mentoring Group, uma empresa que surgiu da dor de trabalhar com o que eu amava e não ter resultados para a alegria de fazer o que eu amo e ter muito resultado.