Como estruturar um programa de coaching?

Após uma longa trajetória por aqui sobre coaching, seus tipos, suas ferramentas e muito mais. Agora é hora de você aprender como estruturar seu programa de coaching e alavancar seu negócio.
Dicas para implementar programas de coaching

Primeiramente, devo dizer que surgirão pessoas dizendo que para você ser um coach de 5 dígitos precisa de um modelo de negócio mirabolante, fazer cursos aprofundados, dentre outras coisas.

No entanto, preciso lhe dizer: há vários coaches que se tornaram bem-sucedidos com um modelo simples.

Nesse sentido, abordarei aqui como estruturar um programa de coaching adequado para VOCÊ. Com pontos importantes, como frequência das sessões, duração, entrega, ferramentas e muito mais.

Não tem segredo, vamos lá!


O que é um programa de coaching?

Antes de tudo, você precisa entender o que é um programa de coaching.

É por meio dele que você, como coach, planejará como será seu estilo de ensino e os materiais utilizados. O programa será algo único para você, permitindo-lhe um negócio estruturado e organizado.

O objetivo de um programa de coaching é ajudá-lo a entregar seus ensinamentos sistematicamente, garantindo para você e aos seus clientes resultados confiáveis e repetíveis.

Essa é uma forma de aumentar a sua credibilidade e para aprimorar sua abordagem. Além de ser também uma maneira para reduzir o tempo que você precisa gastar no planejamento de cada sessão.

Em linhas gerais, seu programa de coaching é um sistema e um padrão que pode ser usado repetidamente e permite escalar seu negócio.


Como estruturar um programa de coaching

Como o próprio nome já diz, o programa é ESTRUTURA!

Então, ele deve trazer clareza, organização e um processo ao seu coaching.

Para isso, vou mostrar um passo a passo fácil de seguir, que vai ajudar você a criar algo exclusivo.


Passo 1: Identifique sua segmentação

Saber qual a sua segmentação, ou nicho, ou tipo de coaching que você começará seu programa é um passo mais importante, pois é ele que dará sentido ao seu negócio.

Para isso, responda as seguintes questões:

  • Qual problema você está resolvendo?
  • Quem você está ajudando?
  • Quais clientes você está segmentando?

Até que você saiba o que o torna especial, será muito difícil passar suas habilidades e a assistência certa aos seus clientes.

Por exemplo, se você é um coach de relacionamento que trabalha com casais separados, não usaria os mesmos materiais que um coach de relacionamento que trabalha com recém-casados.


Passo 2: Dê um nome ao seu programa de coaching

O processo de nomear algo pode ser desafiador, especialmente ao tentar comunicar as ofertas do seu programa de maneira memorável, criativa e simples.

nome do seu programa de coaching precisa transmitir de forma rápida e concisa o que ele cobrirá, mas também precisa soar bem. Para isso, pense nos seguintes pontos:

  1. Como seus clientes se definem. Se seus clientes são empresários, você dever ter algo mais simples e profissional.
  2. Foque na solução. Seu cliente deve sentir a promessa no nome, a resposta que você vai dar para ajudá-lo na vida profissional ou pessoal.
  3. Veja se ele é sonoro e fácil de pronunciar. Isso pode parecer óbvio, mas se o seu programa tiver um nome “entediante”, esquecível ou trava-língua, será mais difícil as pessoas se identificarem.


Passo 3: Escolha a frequência e duração das sessões

Um aspecto importante do seu programa é a frequência e por quanto tempo você treinará seu cliente. Ele funciona por seis meses? Um ano? Apenas um mês? Um dia? Quantas vezes você se reunirá com seus clientes e qual será a duração das sessões?

Ao tomar essas decisões, pense no que o cliente quer e no que funciona para você.

Se estiverem muito ocupados, poderão comparecer a uma reunião semanal?

Quanto tempo pode durar uma sessão?

Sempre tenha em mente que a estrutura das sessões deve ser em torno de seu conteúdo e objetivos, mas lembrando de pensar também no que é melhor para o cliente.

No geral, os programas longos devem se reunir com menos frequência: de 1 a 2 vezes por mês. Já os mais os mais curtos: de 3 a 6 vezes por mês.

Além disso, você pode definir ainda mais duas alternativas. Sessões mais frequentes no início da relação com o cliente, trabalhando intensamente no material. E depois passar para reuniões mensais, somente para prestar contas e acompanhar os resultados.

Outra opção seria começar com um dia VIP mais longo (pelo menos quatro horas), seguido por sessões regulares mais curtas.


Passo 4: Escolha um método para o atendimento

Essa é uma profissional que permite a realização do atendimento presencial ou virtual,  com benefícios para cada método.

E é por isso que você deve entender como se reunirá com seu cliente, pois isso ditará como você entregará seu programa de coaching.

Outro ponto importante, é pensar no espaço que ocorrerá as sessões, seja você realizando presencial ou virtual, pois ambos pendem um lugar tranquilo e com os recursos tecnológicos e materiais propícios.

Uma forma que pode ajudar você a definir seu método de atendimento é perguntando aos seus atuais clientes ou nas suas redes de contatos. Faça um encontro de informações.


Passo 5: Escolha a estrutura do seu programa

Em termos mais simples, como você trabalhará: como coaching individual ou em grupo. A escolha vai depender da sua preferência, muitos coaches oferecem ambos, mas você ainda precisará conhecer seu plano para estruturar seu programa de forma eficaz.

Para decidir, pergunte-se de quanta orientação e feedback cada cliente precisa?

Se seus métodos de coaching exigirem que você personalize cada sessão, o coaching em grupo não funcionará para você. É melhor trabalhar individualmente.

Se seus métodos de coaching permitem que você siga o mesmo processo em todos, o que significa que você tem um currículo e foco definidos, então o coaching em grupo faz mais sentido.


Passo 6: Saiba quais ferramentas irá utilizar

Primeiramente, Existem muitas ferramentas e técnicas de coaching. Você deve pensar quais delas irá usar com antecedência e planejar seu programa de coaching em torno disso.

Nesse sentindo, vou mostrar três categorias que você deve definir:

  • Metodologias: Todos os coaches, consciente ou inconscientemente, usam determinados modelos para desenvolver conversas.

Normalmente, tais metodologias seguem um modelo ou ferramenta de coaching, como a Roda da Vida e o Método GROW, que podem ser usados juntos.

Com a roda da vida você definirá em quais aspectos da vida do seu cliente precisam de mais atenção, relacionamentos, saúde e condicionamento físico, finanças, carreira. A partir da avaliação que ele mesmo definiu para essas áreas.

E com o método GROW, juntamente com ele, definirá o modo de resolução desses aspectos que precisam de atenção. E também quais as metas eles precisam alcançar;

  • Técnicas: Uma técnica de coaching é uma estratégia que é usada com metodologias de coaching para treinar o cérebro de um cliente para entender um novo comportamento.

Cada coach tem técnicas diferentes, dependendo do seu nicho e treinamento. No entanto, existem algumas técnicas e ferramentas universais de coaching que podem ser usadas por qualquer um.

  • Planilhas e trabalhos: Planilhas e trabalhos de casa são coisas que você dá a um cliente para trabalhar entre as sessões. Essas ferramentas são usadas para continuar o progresso quando você não está trabalhando com ele.

Ao desenvolver seu programa, você deve criar trabalhos de casa para ajudar cada cliente a continuar progredindo.


Passo 7: Decida o que cobrar e crie pacotes

O grande desafio de muitos profissionais é como cobrar por seu serviço. No entanto, esse é um passo muito importante, pois você conhecer e reconhecer seu valor será determinante para atrair seu cliente ideal.

Uma dica muito valiosa aqui é: não quer defina seus preços muito baixos; isso diminuirá o valor que o cliente vê em seu serviço e poderá reduzir sua credibilidade também.

Para ter uma ideia do que cobrar, veja como outros coaches estão cobrando. Decida qual é o melhor para sua marca e como transmitir a proposta de valor para clientes em potencial.

Como você pode ver, há muitas questões que precisam ser analisadas para estruturar um programa de coaching.

E tudo isso depende do seu modelo de negócio, de como você gosta de fazer as coisas e da maneira como você foi certificado para treinar.

Quando você confia em si mesmo e em sua experiência, você construirá um negócio de coaching próspero e com boas oportunidades de escalar voos mais altos.

E aí, está pronto para estruturar um programa de coaching?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.